https://youtu.be/68aQzRf0F68

Ei, comunidade! Como estão?

Eu sei que vocês ouviram muitos rumores sobre o Pix – inclusive, sobre haver segundas intenções por trás do novo meio de pagamento. 🔎 

Mas é mais simples do que parece!

De acordo com as regras definidas pelo Banco Central, o Pix é gratuito para Pessoas Físicas (PF) e Microempreendedores Individuais (MEIs) nos seguintes casos:

  • ao fazer um Pix: envio de recursos, com o intuito de transferência e de compra;
  • ao receber um Pix: recebimento de recursos, com a finalidade de transferência.

Mas há exceções – segundo o BC, Pessoas Físicas e MEIs poderão ser cobradas pelo Pix em duas situações: 

  • ao fazer um Pix: quando utilizar canais de atendimento presenciais ou por telefonia mesmo havendo meios eletrônicos disponíveis;
  • ao receber um Pix: quando configurar atividade comercial, ou seja, na venda de um produto ou serviço.

Além disso, pode haver um limite da gratuidade dos pagamentos instantâneos. O Banco Central propõe Pix gratuito para até 30 transferências mensais, quando configurar atividade comercial. Neste caso, a tarifa pode ser praticada a partir da 31ª transação.

Já para Pessoas Jurídicas (PJ), o BC abriu a possibilidade de cobrança de tarifas por parte das instituições financeiras e de pagamento – pelo envio e recebimento de recursos. Dessa forma, o modelo de precificação e os valores das tarifas são definidos pela própria instituição. Entendeu?

Aqui, na Gerencianet, todas as transações via Pix são gratuitas no aplicativo da Conta Digital para Negócios, para PF e PJ. Ou seja, o Pix não tem custo algum pelo app, mesmo sendo atividade comercial. 😉

Já para automatizar cobranças via API Pix, há uma pequena tarifa de 1,98% da transação, com valor máximo de $R 7,90. Vale lembrar que essas tarifas só são cobradas por Pix confirmado. Vocês podem conferir a tabela com os valores aqui.

Ah, e o melhor: as transações originadas pela API Pix serão gratuitas até o dia 31/07/2021. Para quem se interessar, vale a pena conhecer a nossa API.